Crítica: Garota Exemplar

A trama de Gyllian Flynn é bem adaptada pelas mãos de David Fincher, apesar de ser um pouco arrastado no começo, o filme é bem desenvolvido, surpreendente e cheio de reviravoltas.

Garota ExemplarNa trama Nick Dunne (Ben Affleck) se vê em uma situação complicada quando sua mulher Amy Dunne (Rosamund Pike) desaparece misteriosamente. Acompanhamos a visão de Nick após o desaparecimento e a visão de Amy através de um diário que conta a história do casal até o desaparecimento. Amy deixa pistas espalhadas que podem revelar o seu paradeiro e Nick inicia uma caça ao tesouro com as pistas deixadas por ela. À medida em que Nick vai se tornando o principal suspeito do homicídio, ele percebe que talvez seja o verdadeiro alvo.

Sou suspeito para falar de David Fincher, já que sou fã de vários dos seus trabalhos, como Clube da Luta, Seven, Zodíaco, A Rede Social e Millenium. Fincher acerta mais uma vez e aproveita bem a história criada por Flynn (Também responsável pelo roteiro do filme) passando todo o clima criado no livro para as telas. A história faz uma crítica à dinâmica dos casamentos, de homens e mulheres que não conversam e não conhecem suas rotinas, e a cobertura sensacionalista da mídia em investigações.

Além de Ben Affleck e Rosamund Pike, Neil Patrick Harris (Desi Collings), Tyler Perry (Tanner Bolt), Carrie Coon (Margo Dunne), Kim Dickens (Detetive Rhonda Boney), Patrick Fugit (Detetive Jim Gilpin), Emily Ratajkowski (Andie), Missi Pyle (Ellen Abbott ) e Casey Wilson (Noelle Hawthorn) completam o elenco.

Ben Affleck está muito bem em seu papel, Nick Dunne é um personagem extremamente cínico e Affleck entende isso e consegue passar muito bem essa característica em cena. Tyler Perry, Missi Pyle e Casey Wilson estão muito bem em seus papeis que proporcionam um certo alivio cômico na trama. Neil Patrick Harris não convence em seu papel, que é um personagem diferente do que estamos acostumados a ver o ator fazer. Carrie Coon e Kim Dickens também agradam em seus papeis.

O destaque do longa é sem dúvida Rosamund Pike, a atriz britânica se entregou ao papel, dando vida a uma perturbada e misteriosa Amy, surpreendendo a todos em cada reviravolta de sua personagem durante o filme. Atuação que inclusive lhe rendeu indicações ao Oscar de melhor atriz em 2015 e diversos outros prêmios. Antes de Amy a atriz era conhecida principalmente pelos seus papeis em Orgulho e Preconceito (2005), O Libertino (2004) e como a bond girl Miranda Frost em 007 Um Novo Dia Para Morrer (2002).

Diretor(s): David Fincher

Roteiro: Gillian Flynn.

Estreia: 2 de outubro de 2014

Duração: 2 hr. 29 min.

4/5 (Bom)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s